setembro 21, 2007

Jardine fala sobre a luta contra Liddell


Keith Jardine - Trazendo a luta até Anaheim
Por Thomas Gerbasi
Traduzido por kazemirai



Quando você está lutando contra o homem que é sem dúvidas o lutador o mais popular de MMA hoje em dia, voce geralmente acaba no papel de cara mau, o cara que é vaiado simplesmente por estar no Octagon junto com Chuck Liddell. Mas Keith Jardine, é um dos caras bons no jogo e alguém que não fica abalado por tais coisas, não está preocupado em usar o "chapéu preto" sábado em Anaheim quando enfrenta "O Iceman".

"Para mim está tudo bem” ele ri. “Eu acredito que tenho fãs diferentes. Eu sou tipo um herói da classe de trabalhadora no UFC. Eu praticamente entrei pela porta de trás do UFC e eu acredito que muitas pessoas gostam desse fato e estão torcendo por mim".

É duro não torçer por Jardine, que era uma incógnita durante a segunda temporada do "The Ultimate Fighter" e desenvolveu-se em um sólido desafiante conseguindo vitórias sobre o Forrest Griffin e Wilson Gouveia antes de virar um azarão contra Houston Alexander em sua luta do UFC 71 em maio. Foi uma tremenda decepção para o "Dean of Mean" mas ele acredita que isso foi apenas uma pedra no caminho em sua jornada até o topo da divisao dos meio-pesados(light heavyweight division).

“Essa é a natureza do esporte,” disse Jardine após a perda contra Alexander. “Eu perdi o foco por um segundo, ele me pegou, e ele tem um poder incrível. Ele é provavelmente um dos socadores mais duros no UFC atualmente. Em meu coração eu acredito que tenha ganhado aquelaluta 99 vezes de 100, mas nao quero desrespeita-lo, ele fez um bom trabalho.”

Alexander continuou a impressionar, recentemente marcando uma outra primeira vitória no Round 1 contra Alessio Sakara, no UFC 75. Jardine esperava ter algumas lutas menores até conseguir voltar a ser um desafiante ao título, Entretanto ele recebeu para lutar logo de cara o ex-campeão dos meios pesados.

“Quando eu recebi a ligação e disseram que eu iria lutar contra ele achei que era uma piada” ele ri. “Mas eu penso que ganhei essa luta porque o pessoal do UFC gosta da maneira como a eu luto. Eu não sou um lutador de pontos e eu não estou em uma competição de karate; Eu estou aqui para lutar. A maioria de minhas lutas são muito emocionantes e eu penso que é o que o UFC gosta, e por isso me deu a oportunidade.”

Uma vitória de Jardine fornece ao nativo de Montana(cidade natal dele) com uma viagem de primeira classe novamente ao topo da divisão, e ele sabe disso, então o treinamento em Albuquerque com a equipe de Greg Jackson esta sendo intenso, com o tambem desafiante Rashad Evans ajudando o companheiro Jardine na academia.

“Rashad está aqui me ajudando, ele não tem para quem treinar no momento” disse Jardine. "É realmente importante. Quando você entra em uma luta, você não estar indo sozinho mas saber que tem uma legião de outros caras ajudando voce.”

Jardine tem certificado-se de manter as distrações antes da luta ao mínimo.

“Falando com a media e tudo mais as pessoas parece que alugam sua cabeça” disse Jardine. “Eu estou apenas tentando me manter focado na minha tarefa , e se você começar falar a toda hora e eles(a midia, reporters e tal) começarem a falar sobre coisas que voce nao prescisa se preucupar, isso pode começar a afetar voce, por isso estou tentando evitar isso. Eu quero apenas me concentrar na tarefa em mãos.”

Essa tarefa é bater Liddell, um lutador que todos na divisao dos meio pesados esta perseguindo por anos. Mas após sua perda por knockout contra Quinton Jackson em maio, o "O Iceman'" está em um ponto pouco familiar na sua carreira, como um desafiante em busca de um retorno ao topo. E uma segunda perda consecutiva, aos 37 anos, poderia ser um sinal que seus dias bons acabaram. Entretanto Jardine não concorda.

“Eu penso que ele esta melhor do que nunca agora,” disse Jardine, 12-4-1 como profissional. “Ele trabalhou seu estilo até a perfeição, e eu espero lutar contra o melhor Chuck até agora. Contra Quinton a luta não estava indo no sentido de nenhum um dos dois, e ele( Chuck) deu um soco errado e foi pego no contra-ataque. É assim que esse esporte é. Mas eu definitivamente acredito que o Chuck ainda está no seu auge.

Este respeito não significa que Jardine não vê as fraquezas que pode explorar no sábado. Mas adverte também que ver algo na fita é muito diferente de ver um um soco a 98 mph vir na direita de sua cabeça na noite da luta.

“Se você olha o vídeo, você vê muitos das fraquezas, assim como quem ve fraquezas quando me assiste” disse Jardine. “Mas ver ao vivo é uma coisa diferente. Eu posso algumas coisas das quais eu possa tirar vantagem, mas até ver ao vivo não posso saber o que irá acontecer. E é a mesma coisa comigo. Muitos veem meu estilo diferente de boxiar e acham que podem me atingir, mas quando veem ao vivo a coisa é diferente.”

Isso mostra que toda especulaçao do mundo vai por agua abaixo quando o sino tca, e é por isso que Keith Jardine está ansioso para esquecer a luta contra Alexander e preferivelmente mostrar o mundo e para Liddell que é uma força a ser reconhecida com no sábado.

“Eu não perdi minha maneira, mas eu estou definitivamente mais excitado com esta luta do que qualquer outra,” disse Jardine. “É um novo lugar, eu estou lutando na Califórnia, eu nunca lutei fora de Vegas(no UFC), e não dá mais tanto trabalho para mim agora. É emocionante, e eu estou excitado para sair no dia 22 e começar luta. E aquele é o que os fãs vao ter - uma luta de verdade.”

Um comentário:

Mais Notícias Recentes