agosto 24, 2008

Entrevista Com Brock Lesnar

P: Qual o tipo de dor “não crítica” realmente incomoda você? Cortes com papel? Dor de cabeça?Morder o interior de sua bochecha?

R: Eu tinha um canal dolorido a alguns meses atrás que era muito chato!

P: Eu sei que essa é uma pergunta estúpida, mas como é a sensação de ter um bonequinho de brinquedo de você mesmo?

R: É legal!. É sempre interessante ver como é que vai sair e se ele realmente vai parecer comigo. Eu não coleciono brinquedos ou coisa do tipo, então não tenho nenhum ao em casa.

P: Você já leu Freakonomics?

R: Não. Eu não tenho internet, então nunca li isso.

P: Eu acabei de assistir a sua luta contra o Heath e me pareceu que você teve muitas oportunidades para finalizá-lo. O seu treino meio que “desaparece” no meio da luta?

R: Não. Nós desenvolvemos um plano de jogo. O plano era controlar o Heath, não desistir da posição, dominar e vencer. Eu coloquei o plano em ação. Eu ganhei. É simples assim.

P: Qual é a prevalência de esteróides no MMA e no UFC em particular?

R: Fora do que você pode descobrir por conta própria, eu realmente não sei. Quer dizer, os espetáculos são testados e os resultados são públicos. A grande maioria das vezes os caras estão limpos, mas ocasionalmente eles não estão. Posso dizer-lhe que o teste é real e, pelo menos no UFC, os lutadores podem ser testados a qualquer momento.

P: Há alguma técnica ou movimentos em particular que os lutadores se recusam a usar por ser considerado injusto?

R: Não. Se ele é legal, é justo!

P: Você não está preocupado em contrair uma doença infecciosa quando acaba caindo sangue em você? Você apoiaria uma regra que pararia a luta após o primeiro sangramento?

R: Não, desde que haja médicos e testes apropriados antes da luta, não estou preocupado. Eu não iria apoiar tal regra, porque sei como é fácil para alguém sangrar antes da luta chegar a uma conclusão.

P: Assistindo a série The Ultimate Fighter dá aos fãs do UFC uma vista privilegiada da forma infantil como muitos dos jovens lutadores se comportam. São uns arruaceiros. Em sua experiência com o UFC, que percentagem dos lutadores ainda tem essa mentalidade de “arruaceiros”?

R: Há sempre as maçãs podres no meio. Quase todos os lutadores com os quais eu tive contato realmente parecem ser legais; muitos deles são bem-educados, falam bem, são respeitosos e só querem um nível de vida decente.

P: Brock, vocês acredita na velha máxima que “as mulheres enfraquecem as pernas?”. E qual é a coisa mais estranha que você já fez enquanto treinava para uma luta?

R: Não. As mulheres não enfraquecem as pernas. Isso é apenas um mito.

Não sei se eu realmente nunca fiz nada “estranho”, em preparação para um combate. Eu basicamente fico com o básico e treino de forma inteligente.

P: Quando você entra para lutar, alguma vez você fica incomodado com dúvidas sobre eventualmente perder ou sofrer danos? Da mesma forma, você se preocupa com a possibilidade de machucar permanentemente um adversário?

R: No momento que você tem dúvidas sobre perder ou ficar ferido, um dos dois está prestes a acontecer. Quanto a machucar permanentemente um adversário: não é algo que eu me preocupo ambos aceitamos o risco antes de entrar no octagon.

P: O WWE é bem conhecido por ter várias rixas políticas por trás dos bastidores, você acha que a natureza do UFC elimina esse aspecto, ou isso ainda existe?

R: Se há dinheiro, há política! Eu faço o meu melhor para ficar fora de tudo.

P: Se o UFC tornar-se muito estruturado, talvez um novo evento de “Não existem regras!” terá início a fim de voltar ao básico?

R: Não. Não é necessário. As regras que existem servem para alguma coisa. Os lutadores precisam viver para lutar outro dia, caso contrário, você não iria ver os tops do mundo competindo entre si. O risco seria maior que a recompensa.

P: Se alguém luta sujo, eles estão susceptíveis a ser rapidamente taxados como um lutador sujo e fazer os seus adversários lutarem sujo também?

R: Não existe isso de lutar sujo. As pessoas vão para fazer o que for preciso para ganhar. Se eles infringirem as normas, eles serão penalizados; caso contrário, tudo é justo.

P: Por que os lutadores do UFC parecem ter melhor espírito esportivo (ou seja, abraçam uns aos outros depois de uma luta), enquanto que outros lutadores (WWE) têm pouco ou nenhum espírito esportivo e transformam a luta em uma telenovela?

R: Porque os lutadores do UFC estão realmente lutando, WWE é para diversão. Depois de lutar contra alguém, na maioria dos casos, existe certo respeito mútuo.

P: Quem você consideraria em lutar mesmo que não houvesse pagamento?

R: Eu não lutaria com ninguém sem haver um devido pagamento? Absolutamente não.

P: Qual conselho você poderia dar a um jovem que está pensando em entrar no ramo?

R: Consiga sua educação em primeiro lugar!

P: O que passa pela cabeça de um lutador profissional de MMA quando ele perde uma luta, principalmente depois de ser espancado?

R: Perder é ruim. Eu odeio a perder. Você colocou meses de trabalho árduo especificamente para ganhar uma luta, e então você falha. Mas todo mundo perde neste esporte. É como você se comporta após a perda que faz a diferença.

P: Você tem um temperamento violento, ou experimentou violência desde a infância?

R: Penso que lutar é um instinto básico. Você apenas tem que lutar para sobreviver. Entrar no octagon lhe dá uma oportunidade para descobrir de que você é feito. Eu sou competitivo, e gosto de me testar. Eu não tive experiências violentas na minha infância, e não tenho um temperamento violento.

Na verdade, penso que rapazes têm temperamentos violentos estão, na realidade, numa situação de desvantagem em uma luta, porque eles perdem o seu juízo. Você não pode sair como um louco na luta.

P: O que você pretende fazer depois da sua carreira de lutador?

R: Boa pergunta. Eu levo um dia de cada vez. Eu não poderia dizer que eu vou fazer amanhã! Uma coisa é certa: depois da minha carreira, eu vou gastar muito tempo com a minha família.

P: Quão significante é seu passado no wrestling para seu sucesso?

R: É um fator enorme. Não existe nenhum substituto para vinte anos de luta. É uma fundação. Você não pode aprender wrestling do dia para noite.

P: O que você faria se fosse presidente?

R: Onde eu começo?

P: Há algum lutador gay no UFC?

R: Não sei.

P: Como você responde aos críticos que dizem que você não “pagou seus encargos”, na medida em que a única razão pela qual suas lutas foram televisionadas é por causa do seu nome e não necessariamente da sua habilidade?

R: Um monte de pessoas que falham em ver o que interessa: isto é um negócio. O que importa é fazer dólares através da venda de bilhetes, PPV, e mercadoria. É por conta do promotor decidir o que será televisionado. Eu apenas treino duro, entro no octagon e luto.

No que se refere ao “Você não pagou suas dívidas”: certo, eu vim para este esporte com um nome, mas eu construí o meu nome e minha reputação no pro wrestling. Eu também venho de vinte anos de experiência em wrestling amador.

7 comentários:

  1. sinceramente nunca vi um reporter fazer perguntas tão IDIOTAS a um lutador profissional, lamentavel o nivel de quem formulou essas perguntas

    ResponderExcluir
  2. concordo!!!! perguntas ridiculas!!!!!

    ResponderExcluir
  3. essas perguntas são tão bestas que nem uma besta é mais besta que essas perguntas bestas

    ResponderExcluir
  4. concordo plenamente Alam vitor

    ResponderExcluir
  5. por que vc colocou meu nome sua anta

    ResponderExcluir
  6. sou fã do Brock

    ResponderExcluir
  7. eu disserto não nê jumento,jegue,mula...O Alan vitor é tão fã do Brock que tem a caneta,camiseta,etc

    ResponderExcluir

Mais Notícias Recentes